sábado, 5 de setembro de 2015

POEMA DEVASSO:

SEJAM BEM-VINDOS

As linhas da mulher são despenhadeiros
que os homens escalam em busca do ouro do gozo
e no ar rarefeito das alturas têm suas pequenas mortes.
O corpo da mulher guarda os montículos dos seios
que, menos que amamentam, seduzem com crueldade.
Mais abaixo, na zona meio alagada, o monte de Vênus
indica o pequeno, estreito e úmido território
mais cobiçado e penetrado sobre a terra.

Sejam bem-vindos, podem entrar
homens de todas as partes, de todas as origens.
Penetrem, beijem, lambam, mordam meus peitos,
mas deixem do lado de fora os preconceitos.

Autora: Nathália de Sousa - Poetisa Potiguar.
Poemas Devassos e uma Canção de Amor
Sebo Vermelho Edições, 2006.
Foto ilustrativa: pregcinha.blogspot.com

GLOSA ASSUENSE:

João Evangelista Soares de Macedo (*22/02/1891 + 25/03/1970) assuense, conhecido por João de Papai, glosou: 

MOTE: 

NA CRUZ, PREGADO MORREU
O DIVINO REDENTOR.

GLOSA:

A ninguém ele ofendeu
Para ser crucificado
Somente pelo pecado
Na cruz, pregado morreu
Todo seu sangue ele deu
Para remir ao pecador
Passou pela grande dor
De ser pregado na cruz
Para dar ao mundo luz
O divino Redentor.

sexta-feira, 4 de setembro de 2015

ATIVIDADE PARLAMENTAR:

George Soares participa de reunião para pressionar conclusão da transposição do rio São Francisco
Nesta quinta, 03, deputado estadual George Soares (PR-RN) participou da reunião na Assembleia Legislativa da Paraíba, em João Pessoa, junto com parlamentares representantes das Frentes das Águas de todo o Nordeste, para discutir a questão da crise hídrica na região e como pressionar o governo federal para agilizar a obra da Transposição do Rio São Francisco, essencial para que a água chegue aos mais remotos lugares do sertão nordestino.


Membro da Frente Parlamentar das águas no RN, o deputado George Soares se pronunciou na reunião e explanou sobre a urgência da transposição do rio São Francisco e a busca de alternativas para o semi-árido, como é o caso da dessalinização das águas do mar para atender à cidades litorâneas e a produção de energias renováveis, como a eólica e a solar, gerando renda fixa ao sertanejo e utilizando os potenciais naturais do interior do Estado.

"A região de onde viemos no nosso estado, o Vale do Açu, será uma das mais beneficiadas com essa obra, pois receberá as águas vindas do eixo norte da transposição que passa pela Paraíba. Nossa barragem, a maior do estado potiguar, está com apenas 29% de sua capacidade de armazenamento, com esse canal pronto, nossa barragem aumentará seu nível. Por isso, a importância dessas obras serem concluídas. Muitas pessoas necessitam dessa ação do Governo". Enfatizou o deputado republicano.
--
Assessoria de Imprensa do Deputado Estadual George Soares

quinta-feira, 3 de setembro de 2015

ATIVIDADE PARLAMENTAR:

O desafio no abastecimentos de água de cidades do interior do Nordeste será pauta da reunião, nesta quinta-feira (3), entre deputados estaduais do Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco e Ceará. O encontro ocorre na sede do Poder Legislativo da Paraíba, em João Pessoa. Em pauta, o andamento das ações e projetos em comum de recursos hídricos dos estados nordestinos, como a obras da transposição do Rio São Francisco, que teve a primeira etapa inaugurada no dia 21 de agosto, em Cabrobó (PE).

O encontro em João Pessoa é organizado pelos representantes estaduais da Frente Parlamentar da Água, liderada no Rio Grande do Norte pelo deputado estadual Galeno Torquato (PSD). Os parlamentares discutirão sobre as necessidades de obras e abastecimento para os potiguares.

“Vamos levar os pleitos do Rio Grande do Norte de abastecimento de água e obras com recursos federais aos deputados do Ceará, Paraíba, Pernambuco e Paraíba para encontrarmos solucoes em parceria, como aconteceu com o trecho que liga as obras de transposição do São Francisco no canal que liga a Paraíba ao Rio Grande do Norte. Juntos conseguiremos mostrar ao Governo Federal que nós, nordestinos, necessitamos dessa obra e das obras locais para garantir água para a população”, disse Galeno Torquato.

Esse é o terceiro encontro entre os parlamentares do Nordeste para debater a questão de abastecimento de água e combate a seca. Em julho, os deputados paraibanos e potiguares assinaram um documento que detalhava ações, como a construção de um canal de 6,5 km que liga a barragem de Caiçara a Engenheiro Ávidos, em Cajazeiras, que ficou de fora do projeto original da transposição e sem o qual as águas não chegariam à cidade, nem a outras localidades do Rio Grande do Norte.

O documento foi entregue à presidente Dilma Rousseff (PT) por uma comitiva de parlamentares do Rio Grande do Norte, durante a viagem dela a Cabrobó, na inauguração da primeira etapa, e a obra foi autorizada pelo Palácio do Planalto. O trecho autorizado vai viabilizar a chegada das águas da Paraíba ao Rio Grande do Norte.

Além desses pleitos referentes à transposição, a Assembleia Legislativa também tem cobrado o Governo Federal sobre outras obras voltadas ao abastecimento de água que dependem de recursos federais no Rio Grande do Norte. O presidente do Poder Legislativo, Ezequiel Ferreira (PMDB), teve encontro com o ministro das Cidades, Gilberto Occhi, e solicitou o andamento de obras como a Barragem de Oiticica, a adutora Acari-Currais Novos e o programa Água Para Todos.

Também compõem a comitiva potiguar da Frente Parlamentar da Água do Rio Grande do Norte os deputados George Soares (PR), Gustavo Fernandes (PMDB) e Dison Lisboa (PSD).
ALRN.

AÇÃO PARLAMENTAR:

DER iniciará processo licitatório para obras na rodoviária de Assú
A rodoviária de Assú tem sido motivo de diversas reclamações por parte dos populares da cidade que se manifestam nas redes sociais e na mídia criticando a situação do terminal rodoviário construído há 30 anos.

Preocupado com esta situação, o deputado estadual George Soares (PR) se reuniu com o diretor-geral do Departamento de Estradas e Rodagens, Gen. Jorge Fraxe, nesta quarta (02) para cobrar ações naquele terminal.

O parlamentar destinou no orçamento do Estado para esse ano uma emenda de 300 mil reais para a reforma da rodoviária. Após avaliação da equipe técnica do DER, foi constatado que era necessário aditar mais 100 mil reais para realizar a obra. Prontamente, o deputado George remanejou uma outra emenda de 130 mil reais para se somar aos 300 mil já empenhados e viabilizar os recursos para esta importante obra em Assú.

“É legítima a preocupação do deputado George Soares com esse instrumento importante para a cidade de Assú. O nosso departamento deu prioridade a esse projeto e já agilizou toda a documentação necessária. A secretaria de planejamento agora será comunicada da importância desta obra mediante as reclamações que recebemos, para que assim a complementação dessa verba seja liberada e se inicie o processo licitatório para realização desta reforma”. Comentou o diretor do DER, General Fraxe.

“Vamos lutar até o fim para a realização desta obra”. Destacou o deputado George.
--
Assessoria de Imprensa do Deputado Estadual George Soares

quarta-feira, 2 de setembro de 2015

LITERATURA:

CURIOSIDADES:



Os 33 lugares abandonados mais lindos que você já viu

Os 33 lugares abandonados 

mais lindos que você já viu


São lugares com um tanto de mistério e muito de belo e inusitado. Estão abandonados, mas de pé, guardando histórias de um passado glorioso. Compilamos uma lista de lugares abandonados que perderam vida, mas mantiveram sua beleza.
Tem um pouco de tudo, desde ilhas a palácios, passando por montanhas ou edifícios em ruínas ou até um parque de diversões abandonado. As cidades, vilas ou aldeias em que se encontram estão espalhadas pelo mundo.

Sorrento, na Itália



Castelo Eilean Donan


Holey Trinity


Klevem, na Ucrânia


Câmara de resfriamento de usina abandonada


Farol


Gorazde, na Bósnia


Hotel del Salto


Casa do Partido Comunista da Bulgária


Taiwan


Usina abandonada


Curon Venosta, na Itália


Iate afundado, na Antárctica


Estátua de Jesus, em Malta


Prédio abandonado


Mansão abandonada


Prédio abandonado e congelado


Igreja em Indiana, nos Estados Unidos


Moinho de Herdman


Teatro


Estação de metrô


Arbutus


Parque de diversões, no Japão


Saint Dunstan


Saint Etienne


Ruínas


Castelo Buchanan


Prédio em ruínas


Piano em casa abandonada


Estrada de ferro, na França


Teatro Lawdale


Casa abandonada


Estrada de ferro abandonada

ASSEMBLEIA:

George Soares parabeniza trabalho do Pastor Alfredo à frente da Igreja Assembleia de Deus
O deputado estadual George Soares (PR) ocupou o horário destinado às lideranças partidárias, na sessão plenária desta terça-feira, 1º de setembro, na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte, em Natal, para anunciar que protocolou na Secretaria do Poder Legislativo Potiguar, uma Moção de Congratulações destinada à representação da Igreja Evangélica Assembleia de Deus em Assú, e ao seu dirigente maior, pastor Alfredo Luís de Melo.

O parlamentar explicou que a saudação à instituição religiosa e ao seu pastor deve-se ao gesto de grandeza de enviar o missionário Paulo Filho e família para um trabalho de evangelização que será desenvolvido em Cabo Verde, no continente africano.

“Queremos, com esta moção, parabenizar a Assembleia de Deus de Assú e seu grande líder, pastor Alfredo Melo, não só por essa iniciativa exemplar, enviando um de seus membros para levar a Palavra de Deus para os recantos mais longínquos do mundo, como por todo o belo trabalho religioso e social que a Igreja realiza em nosso município”, justificou o deputado George Soares.
--
Assessoria de Imprensa do Deputado Estadual George Soares.

terça-feira, 1 de setembro de 2015

CULTURA:

O último sábado, dia 29 de agosto representou o primeiro passo do projeto ‘Academia na Praça’, uma realização da Academia Assuense de Letras (AAL). Durante todo o decorrer da manhã foi realizada uma programação composta por declamações, leitura de livros, leitura e comercialização de literatura de cordel. As atividades tiveram lugar a Praça Recanto dos Poetas conhecido popularmente como ‘Beco da Prefeitura’. De acordo com o historiador e pesquisador Ivan Pinheiro Bezerra a quem também cabe o cargo de presidente da AAL atividades semelhantes deverão acontecer em outros locais da cidade em datas posteriores.
Ivan Pinheiro também declarou que a entidade está disponível para prestar apoio aos escritores locais que tenham desejo de tornar seus textos conhecidos e que não têm oportunidade. Para tanto, destacou que quem quiser contar com esse apoio pode procurar um dos membros da entidade literária.

Outra informação passada pelo presidente da Academia Assuense de Letras refere-se a criação de uma página virtual para divulgar suas atividades, publicações e eventos dentre outras realizações. A previsão do dirigente é que o portal eletrônico esteja disponível agora no mês de setembro.
A Academia Assuense de Letras é composta por sete sócios efetivos e fundadores os quais tem suas respectivas funções:
Presidente: Ivan Pinheiro Bezerra; Vice-presidente: Auricéia Antunes de Lima; 1º secretário: Francisco José Costa dos Santos; 2º Secretário: Fernando Antônio Caldas; 1º tesoureiro: Fernando Antônio de Sá Leitão Morais; 2º Tesoureiro: Francisco de Assis Medeiros e Secretário de Comunicação: Antonio Alderi Dantas.
Postado por Blog Assú RN

segunda-feira, 31 de agosto de 2015

LITERATURA:

Por Geise Kelly Teixeira da Silva
Com sua paisagem marcada pelo semi-árido nordestino, com suas várzeas e carnaubais, a cidade do Assu é privilegiada de integrar em sua cultura grandes nomes da literatura potiguar, destacando-se entre eles os poetas João Lins Caldas (1888-1967) e Renato Caldas (1902-1991), notórios por possuírem uma grande bagagem poética que se destaca e se valoriza entre os maiores patamares no âmbito das letras potiguares. Hoje, conhecida remotamente como "Terra dos poetas", Assu preenche de glória por ter em seu patrimônio nomes de poetas como esses, que foram de relevantes contribuição para a nossa cultura regional e que se consagraram esse pequeno pedaço de chão nordestino entre os grandes luminares da nossa literatura norte-rio-grandense.

Apesar de serem da mesma cidade (Assu), um natural e o outro reconhecendo a mesma naturalidade por aqui ter passado a maior parte da sua vida, e possuírem em comum o mesmo sobrenome, mas que não os limitam à laços familiares, Renato Caldas e João Lins Caldas se integram dentre vários fatores e extremos destinos, desde suas origens até o lado excêntrico de cada um. É na diferença de personalidades que vamos encontrar a verdadeira essência desses dois poetas, diferenças que vão se refletir principalmente no estilo poético que cada um possui. Veremos que eles são bastante diferentes, embora possam ter muito em comum.

A ideia de um homem angustiado, recluso e solitário tem na figura de João Lins Caldas sua personificação. Nascido na cidade de Goianinha, mas assuense em sua integridade telúrica, esse poeta da "solidão e da dor", como assim o definem pela expressividade de seus poemas, transmitia em seus versos toda a solidão do universo que sentia, como se extravasasse da alma toda a amargura do mundo. Se amava a poesia, cultivava também a terra que pisava como um todo componente do seu ser. Integrava-se a ela de corpo e alma, transformando a matéria da vida em matéria da poesia, confortantes de sua própria alma. Ao longo de sua breve existência, João Lins Caldas canalizou todas as paixões, ânsias, angustias, ideais e sensações que viu, viveu e sentiu para a sua verve. O mais interessante quando se observa a sua produção poética é a sensibilidade que emana de seus versos, no qual valores intrínsecos e humanos coexistem, conduzidos pela realidade vivenciada por ele. Ler os seus escritos é vivenciar a sua trajetória por meio das sensações que estes produzem. São mensagens sentidamente humanas que nos chegam antes do conhecimento físico do poeta e que estabelecem um diálogo direto com as nuanças da sua quão frágil vida cotidiana. Muito além da mera poetização dos seus sentimentos, seus versos trazem na essência a marca que o meio exterior imprime no interior de um poeta que presenciou e viveu como ninguém a dura vida de um agricultor em sua pequena Frutilândia, que em suas palavras era "o canto do seu silêncio proclamado".

Na trajetória do autor, que preferia transformar a vida em poesia a fazer poesia com a vida, figura numa produção poética ativa. "Perpetrava vinte a trinta sonetos por dia em abas de carteiras de cigarros ou em beiradas de jornais". Apesar da sua vasta produção poética podemos encontrar apenas um recorte de seus poemas, mas a sua autêntica fecundidade não está relacionada ao número de versos publicados, mas à extensão de efeitos que esses foram e ainda são capazes de provocar aos que leem. Toda a sua poesia é um relato de tudo o que viu, viveu e sentiu. Relatos profundos de um mundo que lhe era apresentado como escuro e em desequilíbrio; onde a tristeza e a solidão reinam, onde a vida e a morte encontravam-se perigosamente muito próximas.

Ao contrário de João Lins Caldas, vamos encontrar na figura invulgar de Renato um homem de temperamento expansivo e um grande colecionador de momentos felizes mesmo quando em situações adversas. Assim como era a poesia, a boemia e a cantiga popular também faziam parte de sua vida como todo o componente do seu ser. Coincidindo com a sua irrequieta personalidade, seus poemas refletem a imagem de um poeta boêmio e ousado que sempre esteve acima do cárcere da vida assuense e da opinião alheia. Dessa personalidade indomável, emana uma poesia movida a paixão dos valores nordestinos, onde o poeta faz comoventes evocações de sua terra de origem, em mistura de memória e sentimento telúrico que demonstram o exacerbado amor que tem pelo Assu, sua terra natal. Aos olhos de Tarcísio Gurgel, Renato Caldas tinha uma paisagem, na paixão e até no lado grotesco do seu povo os motivos permanentes de sua poesia, concentrando a sua poética na valorização do regional e representando em uma linguagem "rudimentar" as características de um povo sertanejo.

Não há dúvidas que na personalidade desses poetas, ride um paradoxo que se reflete principalmente no estilo poético de cada um deles: a inegável solidão vivida por João Lins Caldas o tornou um poeta exageradamente melancólico e de uma poesia mórbida, mas exuberante. Em Renato, a boemia e a ousadia refletem em seus versos um homem irreverente cheio de verve e obstinação. Se formos um pouco mais além das diferenças que contrastam a poesia de cada um deles, atentando aos mínimos detalhes, é possível encontrar nelas um ponto em comum que de certa forma os aproximam. Ao mesmo tempo em que lembrava um boêmio cantador em defesa de seus ideais, Renato Caldas escondia também a imagem de um homem sensível e atormentado, dividido entre a ânsia de viver e a morte. Em alguns de seus poemas (os mais desconhecidos), podemos perceber uma acentuada presença de temas fúnebres e premonitórios, características encontradas principalmente nos poemas de João Lins Caldas. Podemos tomar como exemplo esses versos, onde Renato diz que, "... eu tenho n'alma dobres de finados"/ "a matéria cansou; prevejo o fim". Ainda, em um soneto intitulado Único pedido (1980), o mesmo traça todas as ordenações que quer que lhe façam "quando meu espírito largar/ esta carcaça onde viveu tão só", pedindo que "atirem-me, por favor, em alto mar/ faço questão de regressar ao pó", insistindo na percepção de seu fim.

Seguindo esse prisma, a verve de Renato Caldas não deixa de se equiparar a de João Lins Caldas, é claro que devemos considerar que tais temas encontram-se em maior constância nos poemas deste último, por ter sido ele um poeta fortemente marcado pela dor e solidão. No caso de Renato pode-se dizer que, a presença desses temas deve-se a deficiência visual que o cegara quando em vida, mas que se tornam imperceptíveis e até desconhecei dos por nós, pelo fato deste se destacar pelo seu lado humorístico e obstinado em sua linguagem matuta.

Com a publicação de seu livro em 1984, Fulô do Mato, Renato realiza um sonho que João Lins Caldas não conseguiu realizar, publicar suas obras e consagrar-se entre os grandes luminares da poesia popular nacional. No entanto, mesmo não realizando suas aspirações, João Lins Caldas não se tornou desconhecido no âmbito das letras potiguares. Teve muito de seus poemas perdidos, poemas estes que poderiam ter alcançados horizontes mais largos, e não chegou a publicar em vida obra alguma, mas, mesmo ante os descaminhos de sua antologia, Celso da Silveira, também poeta, conseguiu, no que lhe foi possível, reunir em um "pequeno" livro intitulado Poética (1975) alguns dos poucos poemas que restaram de João Lins Caldas, não o melhor da sua poesia, mas o bastante para notificar a existência de um grande poeta. Graças a Celso tivemos a oportunidade de conhecer alguns desses poemas, que já estavam quase no anonimato, mas que, hoje são conhecidos e valorizados pelo maravilhoso efeito que causaram seus admiradores inatos.

Ao cruzar a linha entre criatividade e sensibilidade, esses dois poetas acabaram deixando um legado riquíssimo tanto para a poesia assuense quanto para a literatura potiguar. Renato Caldas é hoje um dos ícones mais populares entre os luminares da poesia matuta no Rio Grande do Norte. Sua figura é sempre lembrada, especialmente por sua vida boemia e agitada, dedicada à poesia e a valores de sua origem. Já João Lins Caldas, não é tão conhecido e sua verve ainda não foi devidamente estudada como o poeta merece, mas este foi um homem que esteve muito acima do momento que passa, e conscientemente esperou a sua permanência no tempo, afirmando altivamente e sem medo a seguinte frase: Mas o homem é um clarão. Eu serei um clarão por toda a eternidade. Paradoxo à parte, não podemos negar que ambos escreveram poemas da melhor qualidade e de um esplendor incomparável, que podem não se aproximarem exatamente quanto ao estilo e a temática, mas, certamente em qualidade estes se igualam. 
Postado por FERNANDO CALDAS.

HABITANTES:

 
A cidade do Assú permanece na condição de oitavo município mais populoso do estado do RN, segundo a mais recente estimativa populacional divulgada na última semana pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
A projeção realizada pelo órgão federal apontou Assú com uma população de 57.292 habitantes.
A cidade fica atrás de Natal (869.954), Mossoró (288.162), Parnamirim (242.384), São Gonçalo do Amarante (98.260), Macaíba (78.021), Ceará-Mirim (71.878) e Caicó (67.269). Assú fica à frente, dentre outras, das cidades de Currais Novos (44.887), São José de Mipibu (43.191), Santa Cruz (38.924) e Nova Cruz (37.395).
Foto: Assuguia.
Postado por Pauta Aberta.

ESPORTE:

O atleta assuense Paulo Ricardo de Souza Melo participou da terceira edição do ‘Argentina Open de Taekwondo’, em Buenos Aires, e venceu quatro das cinco lutas que disputou.

Paulo Ricardo conquistou a medalha de prata e entrou no grupo dos atletas que receberão o ‘Bolsa Atleta Internacional’
Postado por Rabiscos do Samuel Nário.

ATIVIDADE PARLAMENTAR:

GEORGE SOARES PARTICIPA DE EVENTOS SOCIAIS EM ASSU